Para os sortudos noctívagos de New York, Londres e Lisboa, acabaram-se os fins de noites com o típico zumbido nos ouvidos devido ao som pobre e distorcido, dos sistemas de PA existentes na maior parte das discotecas.

A maioria dos médicos concorda que sons lineares, isto é, sons sem distorção, implicam muito menor stress no ouvido humano, mesmo com altos níveis de pressão sonora.

Eis os comentários favoráveis dos proprietários dos clubes, engenheiros, clientes e staff, relativos à introdução de colunas ATC em 5 locais de referência da noite.

O novo mercado para a marca britânica ATC Loudspeaker Technology, começou graças ao arrojo e bom ouvido de Steve Rosenthal, co-proprietário do Living Room Night Club em Manhattan, antiga “casa” de Norah Jones. “Foi uma coisa meio revolucionária, por um grande par de monitores de estúdio num local de concertos.” Suspendendo um par de monitores ATC SCM150ASL acima do palco como sistema de PA “estamos a ter uma grande aceitação” diz Rosenthal.

Entretanto, o investidor Londrino Freddie Moss, que tomou conhecimento da ATC através do lendário engenheiro acústico Nick Whitaker, começou a instalar modelos feitos por encomenda em 3 clubes londrinos de referência, Chinawhite, Umbaba, Aura restaurant and cocktail lounge, que agora se encontram equipados com monitores ATC, famosos pela sua alta precisão e baixíssima distorção.

Localizado perto de piccadilly circus, em Londres, o exclusivo Chinawhite, o local ultra-chique, de eleição pelas celebridades e frequentemente falado nos tablóides de Inglaterra, substituiu o seu sistema por sistemas full-range ATC activos, onde se incluíram sub-woofers.

“O estremecer provocado pelos 8 subwoofers de 15” , com bass reflex dispostos nas bancadas, é particularmente popular entre os nossos clientes” diz Jeremy Hartley, parte do consórcio, que também inclui os entertainers internacionais Rory Keegan e John Stephen “quando saímos do clube não sentimos nenhum zumbido nos ouvidos”.

O clube chinawhite, exclusivo para sócios, dispõe de 8 sistemas ATC PA65, desenvolvidos com base no modelo mundialmente conhecido SCM150ASL monitores de estúdio activos. Cada coluna consegue gerar um SPL de 116db através do woofer SL de 15” , do médio de cúpula macia de 3” e do tweeter de 1,25” em tecido. Cada coluna oferece grande dispersão horizontal e vertical, podendo ser montada vertical ou horizontalmente, conforme seja necessário.

Cada PA65 é alimentado por 3 amplificadores ATC que operam em classe A até 2/3 da sua potência total.

O Bar WuWu tem um par de PA 2×9 e 4×15” subwoofers embutidos nos bancos. “Desta maneira permitiu-nos maximizar o espaço disponível no chão, optimizar a qualidade áudio na gama média e ter uma óptima cobertura sonora” comenta o Engenheiro R&D da ATC, Ben Lilly.

Localizado na prestigiada zona londrina de Mayfair, perto do palácio de Buckingham, o Aura Kitchen & Bar é o primeiro club/bar a receber um sistema feito por encomenda, baseado nos monitores de estúdio SCM300. Estas colunas activas foram feitas com uma base mais pequena em formato de torre, com um acabamento em preto piano lacado com pormenores em alumínio, indo de encontro à decoração do ambiente.

Cada torre inclui 2×15” super linear woofer da ATC, um médio de cúpula macia de 3” da ATC e um agudo de 1,25” de tecido. Estas colunas encontram-se emparelhadas com um subwoofer C6. Nos bancos do salão, encontram-se embutidos 8 subwoofers passivos de 15” .

Cada torre é alimentada por amplificadores ATC de 3 canais, debitando 275W a cada woofer, 200W ao médio e 100W para o tweeter, capazes de debitar 120db. Um amplificador ATC de 600W alimenta cada um dos subwoofers.

Estas colunas desenhadas por encomenda, são idênticas em qualidade sonora e potência debitada a um dos canais do sistema stereo massivo, desenhado e construído pela ATC para o Walt Disney concert hall em Los Angeles.

Famoso pela sua música europeia e latina, o Aura é um recinto com duas facetas. Dispõe de mesas que podem ser baixas hidraulicamente depois de fechada a cozinha, tornando-se deste modo, num ambiente mais cómodo para os clientes mais tardios.

Quando o Umbaba abriu as portas a uma clientela selecta no início deste ano, completou um trio de recintos selectos equipados com sistemas de referência ATC. A decisão principal foi de Freddie Moss, que detém uma forte posição, tanto no Aura, como no China White. Após 2 anos de experiência a trabalhar com ATC, Freddie Moss comenta: “soam melhor do que qualquer sistema que usámos antes, e apesar de abusarmos delas o tempo todo, não se estragam”.

Como no China White, o sistema do Umbaba é constituído por PA65, uma coluna full-range de 3 vias, mais uma vez com subwoofers passivos, instalados nas áreas de assentos para optimizar o uso de espaço no chão.

No Umbaba, foram utilizadas ATC T16 na área lounge, onde não é requerido grandes SPL’s. Estes pequenos e robustos monitores, têm uma dispersão muito grande, resultando numa excelente cobertura sonora, contra o ambiente normalmente ruidoso de clubes nocturnos. Diz Jeremy Hartley do China White: “não poderíamos estar mais contentes com os resultados. Foi preciso convencerem-me a mudar para a ATC, uma vez que, tínhamos uma boa relação com o nosso fornecedor anterior, mas estou satisfeito que o tenhamos feito”.

Recentemente aberto, o clube Swell, propriedade do Hotel Costa da Caparica, junto à praia, instalou nove pares de monitores activos ATC T16. Um par é usado na cabine de controlo para monitorizar todo o som que é distribuído pelo clube. Os outros 8 pares cobrem a zona VIP e a zona lounge, fazendo a distribuição de som de alta qualidade por essas áreas. O engenheiro José Rodrigues comenta: “as colunas ATC dão-nos uma qualidade sonora nunca antes ouvida em locais públicos ou privados em Portugal”. Os orgulhosos proprietários do clube comparam estas colunas à sensação de possuírem um Ferrari.