“Ratatouille”, ( ATC ) T. BONE Burnett, ( ATC ) Steve Lillywhite, ( ATC ) Matchbox 20 ( ATC ) todos no “Lurssen Mastering” de Gaven Lurssen.

Porque projectos importantes e de grande vulto como estes envolvem produtores de renome, cujos calendários mais parecem jogos de Tetris, ganhar o direito de Masterizar esses projectos depende sempre da capacidade de entregar o produto final na data acordada e perfeito à primeira e a capacidade para o fazer depende, claro, da perícia, juízo e ferramentas do Mastering Engineer.

Formado no Berklee College of Music, sob a tutela de Dong Sax na The Mastering Lab e um dom de intuição musical igualado por poucos na indústria, catapultaram Gavin Lurssen da Lurssen Mastering, para a escala de topo no mundo do Mastering em apenas 16 anos.

Pessoalmente já ganhou 2 grammy’s. Numerosos discos em que trabalhou foram nomeados e premiados e tem créditos em dezenas de projectos nos tops.

Um dos componentes principais para o sucesso de Lurssen é o seu sistema 5.1 de Monitores ATC SCM150 ASL PRO.

Este sistema providencia-lhe uma referência inabalável e honesta que ele usa para aperfeiçoar cada projecto com um tempo de estúdio mínimo e sem erros.

Uma grande parte das sessões de Mastering consiste em encontrar falhas que, de algum modo passaram despercebidas durante a gravação e mistura. “ As ATC deixam-me ouvir bem fundo no áudio e identificar problemas que iludiram os envolvidos no projecto”. “Quando os participantes desses projectos se sentam a meu lado ouvem os referidos problemas também, algumas vezes sinto-me como um professor…como se lhes estivesse a dar uma graduação ou coisa do estilo…. Enfim, toda a gente sabe que esses problemas precisam de ser encontrados e resolvidos e, por isso, me chamam”.

Lurssen trabalhou recentemente com T-Bone Burnett e Mike Piersante no último filme da Disney “Ratatouille”.

Para criar um balanço tonal adequado, era vital ouvir todos os detalhes orquestrais.

Lurssen explica: “A minha responsabilidade é enorme e tenho que por o Áudio onde deve estar e à primeira; T-Bone e Mike não se podem dar ao luxo de andar para trás e para a frente com pequenas modificações”.

As ATC transmitiram exactamente o que se estava a passar na mistura e guiaram-me, de uma maneira sensata, ao nível de processamento para aperfeiçoar o resultado”.

Lurssen também trabalhou com o lendário produtor Steve Lillywhite no último EP dos Matchbox 20, que será editado juntamente com a colecção dos seus “Greatest Hits”.

Lurssen reconhece a importância do EP, que será o primeiro lançamento do popular grupo em largos anos. “ Era importante que este novo projecto se afirmasse segundo os standards actuais, em termos de nível, estrutura tonal e dinâmicas. Sei que será meio contraditório nos termos, mas um projecto bem masterizado soa tão dinâmico como alto. Obviamente há arte nesta ciência”.

Embora trabalhando num dos melhores sistemas, Lurssen reconhece que os fans dos Matchbox 20 irão tocar o produto resultado do seu trabalho, nos piores sistemas e em todos os sistemas entre um extremo e outro. Ele compara esta masterização a uma “performance”.

Eu queria ter a performance certa de modo a que este novo EP “ilumine” o espaço onde será tocado. O desafio é ter a certeza que todos os toques estão exactamente no sítio certo, para fazer esse efeito possível. Com a precisão das ATC senti-me confortável e confiante nas escolhas que fiz até ao mais subtil dos detalhes”.